Estreia mundial: A Schaeffler apresenta um bio-híbrido orientado para o futuro

01-06-2016 / Empresa

A Schaeffler no congresso auto, motor und sport 2016

MADRID, 31/05/2016. Enquanto líder no âmbito da inovação com uma grande quantidade de tecnologias que tornam a mobilidade mais económica, segura e ecológica, a Schaeffler também está a trabalhar em novas soluções de mobilidade. Com o bio-híbrido, a Schaeffler, fornecedor da indústria automóvel, apresentou um conceito de micromobilidade inovador durante o congresso 'auto, motor und sport'. Este estudo demonstra como a empresa imagina uma solução para a mobilidade urbana.

Mobilidade em transição

Não importa se é com automóvel, comboio, avião ou bicicleta, o volume do trânsito nos centros urbanos continua a aumentar e está a mudar a forma como as pessoas se deslocam. Ao mesmo tempo, o desejo de uma mobilidade limpa e sem emissões está a gerar uma reflexão política e a criar novas soluções de mobilidade individuais nos centros urbanos. Com esta base, a Schaeffler analisou as áreas de aplicação e futuras exigências para formas individuais de mobilidade de acordo com o seu conceito de estratégia global 'a mobilidade do amanhã'. O resultado é o bio-híbrido da Schaeffler.

'A mobilidade completamente elétrica não será suficiente para garantir uma mobilidade do amanhã sustentável e com eficiência energética no setor dos veículos de passageiros', afirma o Prof. Peter Gutzmer, Subdiretor Geral e Diretor de Tecnologia da Schaeffler AG. O bio-híbrido demonstra como a Schaeffler imagina uma solução para a mobilidade urbana. É similar a uma bicicleta, mas sem as desvantagens em termos de proteção contra as intempéries e espaço de armazenamento. Graças ao sistema de acionamento pedelec com uma restrição de 25 km/h, o bio-híbrido pode ser conduzido sem carta de condução e também pode ser utilizado em ciclovias, acrescenta o Prof. Peter Gutzmer.

Um conceito de micromobilidade da Schaeffler: o bio-híbrido em detalhe

O bio-híbrido da Schaeffler combina as vantagens de estabilidade e proteção contra as intempéries com o consumo de energia e a utilização do espaço de um pedelec. Graças ao sistema de acionamento com assistência elétrica (até 25 km/h)* com um alcance mínimo de 50 quilómetros**, o condutor pode viajar de forma confortável e desportiva. A nova plataforma de veículo, com duas rodas dianteiras e duas rodas traseiras, proporciona uma maior segurança e estabilidade de condução. O bio-híbrido também pode ser conduzido de forma simples em ciclovias graças às suas dimensões compactas (2,1 m de comprimento, 1,5 m de altura, 85 cm de largura) e uma largura de rodagem de 80 cm. A marcha-atrás elétrica também permite efetuar manobras sem problemas. Em conjunto com o respetivo sistema portátil de baterias, um compartimento para vários equipamentos e uma transmissão automática, este veículo de 1+1 lugares (2 assentos) já se pode integrar na infraestrutura existente e na vida quotidiana. O design extravagante sublinha o carácter do estilo de vida e combina-se com a construção inovadora do tejadilho, que se pode guardar facilmente por baixo do assento através de um mecanismo inteligente de equilíbrio. Com a proteção contra as intempéries recolhida, o bio-híbrido transforma-se num elegante descapotável e permite que o condutor desfrute do ar fresco. Graças a uma ligação integrada para smartphone, o condutor está ligado a um grande número de aplicações e pode aceder a informações, por exemplo, sobre o estado do tempo e do trânsito em qualquer momento.

O Prof. Peter Gutzmer acrescenta: 'Antes de que este tipo de mobilidade individual se possa estabelecer no mercado, é necessário cumprir pré-requisitos importantes em relação à infraestrutura. As áreas metropolitanas e as grandes cidades devem continuar a mudar, o que será o caso. Cidades como Londres, Paris e Singapura já estão a investir centenas de milhões no desenvolvimento de ciclovias. As ciclovias de alta velocidade que ligam as cidades, por exemplo, na região de Ruhr, permitirão fases de expansão do micro-móvel com maiores velocidades. Na Alemanha, já se fala de abrir ciclovias com um limite de velocidade legal de 40 km/h. Todos estes desenvolvimentos significam que o nosso conceito possui um grande potencial para mudar a mobilidade urbana'.

* 250-750 watts de potência nominal (de acordo com os requisitos legais nacionais)

** Alcance em conformidade com as simulações atuais: 50-100 quilómetros