70 anos de Schaeffler

Empresa Vídeo, 3:14, 247 MB

Uma empresa global que nasceu por uma ideia brilhante

MADRID, 21 de junho de 2016. O Grupo Schaeffler, que conta com uma das melhores histórias de sucesso da indústria alemã após 1945, celebra agora o seu 70.º aniversário. O Dr. Wilhelm Schaeffler e o seu irmão, o Dr. Honoris Causa Georg Schaeffler, estabeleceram as bases do Grupo atual quando, em 1946, criaram a Industrie GmbH em Herzogenaurach. Desde esse momento, a sede central do Grupo Schaeffler está nesta localidade. O rápido crescimento da empresa começou em 1949 com a invenção da gaiola de agulhas da INA por parte do Dr. Georg Schaeffler. Em seguida, a Schaeffler começou a fabricar rolamentos de agulhas orientados por gaiolas em grandes quantidades, principalmente para a indústria automóvel alemã. Atualmente, o Grupo Schaeffler é um fornecedor integrado dos setores industrial e automóvel que opera a nível mundial e que conta com cerca de 84.000 colaboradores. "Costuma-se dizer que as empresas familiares pensam a longo prazo, e isso cumpre-se totalmente no caso da Schaeffler. Para nós, as nossas raízes e os nossos valores têm a mesma importância do que o sucesso financeiro", sublinhou Maria-Elisabeth Schaeffler Thumann.

Os inícios

A história da Schaeffler começou na cidade de Katscher, na Alta Silésia, lugar onde o Dr. Wilhelm Schaeffler comprou uma empresa têxtil que posteriormente também começou a fabricar produtos metálicos. Após uma época em Schwarzenhammer, nas montanhas Fichtel, os irmãos Schaeffler procuraram um terreno que tivesse ligação ferroviária para a sua empresa, o que fez com que se mudassem para Herzogenaurach em 1946. Devido à promessa que os irmãos fizeram de criar 120 postos de trabalho, as autoridades municipais desta cidade venderam-lhes o terreno que procuravam. Herzogenaurach necessitava urgentemente destes postos de trabalho. Um ano mais tarde, o quadro da empresa recém-constituída Industrie GmbH já contava com 193 colaboradores. No início, a Industrie GmbH fabricava artigos de madeira para a vida quotidiana, como escadas, trotinetas para crianças, fivelas de cintos e botões, e os carrinhos de mão convertíveis, que também se tornaram num sucesso de vendas, continuaram a ser fabricados em Schwarzenhammer.

Pouco depois, a gama de produtos foi ampliada. Foram adicionados produtos metálicos como mangueiras de roscar, buchas para cruzetas articuladas e os rolamentos de agulhas como peças de substituição. Deste período inicial também nasceu a marca INA, acrónimo de "Industrie-Nadellager" ("Rolamentos industriais de agulhas"). O Dr. Georg Schaeffler também a traduziu como "Immer Neue Aufgaben" ("Sempre tarefas novas") quando os seus colaboradores lhe perguntaram sobre as iniciais.

Uma ideia brilhante

Em 1949, o Dr. Georg Schaeffler desenvolveu a gaiola de agulhas INA. Nesta, os elementos giratórios eram orientados em paralelo com o eixo. Em comparação com os rolamentos de agulhas existentes até esse momento, este novo modelo era consideravelmente mais leve, compacto e fiável. Além disso, permitia alcançar velocidades mais elevadas. Estas vantagens ajudaram o rolamento de agulhas da INA a destacar-se como grande desenvolvimento industrial e, ao longo de 1950, o protótipo do rolamento estava preparado para a produção em série. Em setembro de 1950, foi apresentado o pedido de patente para a gaiola de agulhas da INA. Em pouco tempo, os rolamentos de agulhas de Herzogenaurach tornaram-se num componente indispensável para a produção de automóveis, a engenharia mecânica e a construção de equipamentos. Em 1953, todos os automóveis alemães circulavam pelas estradas com estes componentes.

Desenvolvimento rápido para uma empresa global

O sucesso do rolamento de agulhas da INA e o seu aperfeiçoamento posterior exigiam um aumento contínuo da capacidade de produção, tanto a nível nacional como internacional. A internacionalização da empresa teve início em 1951 na cidade de Homburg (estado de Sarre), que nesse momento ainda pertencia ao espaço económico de França. A primeira instalação no estrangeiro, localizada em Llanelli (Grã-Bretanha), começou a produzir em 1957. Dois anos mais tarde, a Schaeffler seguiu a sua cliente Volkswagen para o Brasil, onde inaugurou outra instalação nova. Em meados dos anos 60, entrou no mercado norte-americano ao adquirir uma participação numa empresa; esta converteu-se na sua própria empresa nacional em 1969. Após a queda da Cortina de Ferro em 1989, abriram-se novos estabelecimentos na Europa Oriental e na Ásia. Atualmente, a Schaeffler conta com aproximadamente 170 estabelecimentos em 50 países. A sua rede internacional compreende 74 instalações de produção, além de centros de investigação e desenvolvimento de sociedades comerciais.

O Grupo Schaeffler ganha forma

Em 1964, os irmãos Schaeffler decidiram adquirir a participação maioritária da empresa Lamellen- und Kupplungsbau August Häussermann, e em 1965 fundaram a LuK Lamellen- und Kupplungsbau GmbH na cidade de Bühl, na região alemã de Baden. A empresa tornou-se na líder tecnológica do mercado com o seu primeiro produto inovador: a embraiagem de diafragma fabricada para a Volkswagen. A LuK, uma empresa especializada nos sistemas de transmissão e um dos maiores fabricantes de embraiagens a nível mundial, integrou-se no Grupo Schaeffler em 1999, depois de ter estado vários anos associada a outra empresa. Atualmente, é o centro do Departamento de Sistemas de Transmissão. Em 2001, a Schaeffler adquiriu a FAG Kugelfischer AG & Co. KG em Schweinfurt e ampliou de forma considerável a sua gama de rolamentos. Desde esse momento, o Grupo Schaeffler tornou-se no segundo maior fabricante de rolamentos do mundo. Cinco anos depois, a FAG Kugelfischer AG & Co. oHG e a INA-Schaeffler KG fundiram-se para formar a empresa Schaeffler KG. Outras empresas, como a Barden, Hydrel, IDAM e Schaeffler Engineering, complementam a carteira de valores do Grupo Schaeffler.

O presente e o futuro

Após o falecimento do Dr. Georg Schaeffler em 1996, a sua esposa Maria-Elisabeth Schaeffler-Thumann e o seu filho Georg F.W. Schaeffler tonaram-se nos únicos acionistas da empresa e geriram o Grupo com sucesso em conjunto com os administradores. Em 2009, o Grupo Schaeffler adquiriu a participação maioritária da Continental AG; atualmente, holding familiar da Schaeffler AG é o seu acionista maioritário. Klaus Rosenfeld é o diretor executivo da Schaeffler AG desde 2013. A Schaeffler utiliza o conceito estratégico "A mobilidade do amanhã" para se centrar em quatro áreas e integrar todos os departamentos e regiões geográficas. O conceito engloba sistemas de acionamento ecológicos, a mobilidade urbana, a mobilidade interurbana e a cadeia energética. A Schaeffler desempenha um papel ativo ao conceber estas quatro áreas principais através das suas próprias atividades de investigação e desenvolvimento. Enquanto líder especializado em inovação e tecnologia, oferece uma ampla variedade de componentes, módulos e serviços cada vez mais orientados para incluir sistemas completos aos seus clientes e parceiros comerciais. Em outubro de 2015, a Schaeffler começou a ser cotada com sucesso na Bolsa.

A empresa incluiu o tema da digitalização na sua estratégia de crescimento a longo prazo e, como parte da sua agenda digital, desenvolve produtos inteligentes, processos mais eficientes e serviços inovadores.