As 6 bases para que escolham a sua oficina de carros

IMAGEN PORTUGAL.jpg

“Não se leve a sério a si mesmo, mas sim à sua concorrência.” Estas palavras, proferidas pelo milionário britânico Richard Branson, ocultam uma importante realidade. É necessário saber sempre o que está a fazer a nossa concorrência. Através deste conhecimento obteremos informações valiosas sobre como melhorar o nosso negócio. Para nos pouparmos de prospeções tediosas, decidimos perguntar-nos o que nos faz escolher entre uma oficina de carros ou outra, e chegámos a algumas conclusões que lhes podem ser úteis.

​​​​​​​Neste post vamos destacar os 6 pontos fundamentais que podem fazer com que um cliente escolha a nossa oficina mecânica em vez de uma da concorrência.
​​​​​​​

1. Boca-a-boca

Não se engane, a fama é muito importante neste mundo. Se as pessoas falarem bem de um negócio, é meio caminho andado para o mesmo. Se, pelo contrário, receber demasiadas críticas, será necessário um grande esforço para se livrar delas. Por isso é importante saber qual é a opinião dos nossos clientes depois de cada serviço. Ajudar-nos-á a reconhecer os nossos pontos fortes e, o que é mais importante, a detetar más experiências para as tentar resolver. Na era digital, este é um detalhe crucial, porque uma opinião negativa num lugar como Google ou FB terá um efeito nefasto sobre a nossa imagem. E não nos devemos esquecer que há cada vez mais clientes que procuram opiniões na rede para ter uma ideia prévia antes de escolher entre um negócio ou outro. Muitos de vós pensarão que é impossível defender-se de um cliente que pretende publicar uma crítica má. É um facto. Por isso, é fundamental conseguir que os nossos clientes satisfeitos publiquem a sua opinião. E isso está nas nossas mãos.
​​​​​​​

2. Localização

Uma parte da afluência de clientes depende da localização da nossa oficina de carros. Não é incomum encontrar oficinas com uma boa localização que, apenas por esse facto, têm trabalho garantido. Mas atenção, estamos num momento em que a tipologia dos bairros e cidades inteiras pode mudar em poucos meses, o que pode afetar o nosso volume de trabalho. É importante não descontrair e olhar mais além do nosso meio geográfico, ao utilizar os nossos meios para captar clientes por motivos mais sólidos do que a nossa localização.
​​​​​​​

3. Especialização

Um dos argumentos que os clientes da oficina apresentam para explicar a sua escolha é o conhecimento específico que têm de uma ou outra tecnologia. Repetimos muitas vezes que o profissional do mercado de peças de substituição deve conseguir reparar todas as marcas, mas é um facto que a especialização numa determinada intervenção ou tipo de veículo pode facilitar bastante a escolha. Por este motivo é importante perguntar que carências tem a nossa concorrência, e desenvolvê-las dentro da nossa oferta.
​​​​​​​

4. Serviços

Marcação e orçamento online, veículo de substituição, serviço ao domicílio… os clientes valorizam cada vez mais o seu tempo, e procuram a melhor forma de reparar ou fazer a manutenção do seu veículo sem alterar a respetiva agenda. Por exemplo, uma oficina de carros que recolha e devolva o seu veículo, independentemente de estar longe, assim como uma oficina que demore um bocado mais pode compensar de oferecer um veículo de substituição. Naturalmente todos os serviços extra têm um custo, mas vale a pena pensar se esse esforço recompensa através de mais clientes.

5. Informação

A nossa oficina de carros pode realizar todo o tipo de reparações, com rapidez, seriedade e transparência, mas dizemos isso a alguém? Essa informação está toda acessível? Desde a própria oficina, passando por todas as ações de comunicação que realizamos e acabando novamente no meio digital, é necessário repetirmos várias vezes tudo aquilo que nos torna na melhor opção para os nossos possíveis clientes.
​​​​​​​

5+1. Preço

Deixámo-lo para o fim, mas infelizmente o preço é o único fator tido em consideração por uma grande quantidade dos nossos possíveis clientes. Não serve de nada apostar nas 5 bases anteriores se os nossos preços não forem competitivos… mas então, como fazemos? A resposta a esta pergunta não é fácil. Em termos gerais, trata-se de definir o que o nosso negócio precisa para se destacar em relação à nossa concorrência. Cada caso é particular e tem umas necessidades específicas. Se não houver recursos ilimitados, o segredo está em definir uma mistura de ações que a nossa oficina necessita. Boa sorte!